JULIO PLAZA

MADRI | ESPANHA | 1938

Julio Plaza González (Madri, Espanha 1938 – São Paulo, 17 de Junho de 2003) foi um artista , escritor, gravador e professor. Inicia sua formação em Madri, na década de 50. Cursou a École de Beaux-Arts (Escola de Belas Artes de Paris). Chegou ao Brasil em 1967, para participar da 9ª Bienal Internacional de São Paulo, fazendo parte da integrando a representação espanhola. Com bolsa de estudos oferecida pelo Ministério da Relações Exteriores do Brasil, ingressa na Escola Superior de Desenho Industrial – ESDI, no Rio de Janeiro. Realiza em São Paulo com o editor Julio Pacello o Livro-Objeto, em serigrafia com recortes, um exemplo típico da obra aberta,no final década de 1960-(68-69). De 1969 a 1973, casou-se com a artista conceitual Regina Silveira foi professor de linguagem visual e artes plásticas no Departamento de Humanidades da Universidad de Puerto Rico, onde realiza esculturas no espaços abertos do Campus, inúmeras serigrafias, e organiza o que foi provavelmente a primeira exposição de arte postal internacional: Creación, Creation, com a presença de cerca de 80 artistas de vários cantos do mundo. Retorna ao Brasil em 1973. A seguir se torna professor da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo – ECA/USP e da Fundação Armando Álvares Penteado – Faap. Em 1975, publica com Augusto de Camposos livros Caixa Preta e Poemóbiles. Foi grande colaborador do Prof. Walter Zanini, então diretor do MAC, UPS, tendo organizado duas emblemáticas exposições internacionais de arte postal: Prospectiva (1974) e Poéticas | Visuais(1977). Sempre um estudioso das novas mídias e da teoria da arte, J. Plaza publica livros sobre video-texto e a tradução intersemiótica, e também inúmeros artigos e textos com grande rigor, nos quais manifesta uma visão crítica a respeito dos rumos que o sistema das artes e do mercado vão tomando no passar dos anos.

COMPOSIÇÃO, 1969, SERIGRAFIA, 60X50CM
COMPOSIÇÃO II, 1969, SERIGRAFIA, 60X50CM